Um guia rápido de como funciona a produção de BLs de cada país

A dinâmica de cada mercado que produz BLs em live action é bem específica e confunde muito quem está conhecendo este gênero. Ultimamente, muitos países asiáticos tem entrado no mercado, mas cada país tem a sua forma de produzir, distribuir e promover as suas produções.

Abaixo, fizemos um pequeno guia apresentando aspectos que muitas vezes iguais, mas também diferentes e únicas que cada país lida com a produção de um BL. Então entenda de forma simplificada os principais pontos de cada país e suas séries BLs!

•  Usualmente, novels (ou web novels) são compradas para serem adaptadas para live action.
• Um trailer piloto é gravado para atrair patrocinadores e aumentar engajamentos dos fãs, a série só será gravada meses depois.
• Comumente tem ambientação universitária e personagens jovens.
• As séries tem de 10 a 15 episódios, com 45 minutos em média por episódio, algumas sendo transmitidas em canais digitais na TV.
• Usualmente distribuídas no Youtube ou LINE TV com acesso global e transmissão simultânea.
• Normalmente os atores iniciantes que sonham em se tornar famosos estrelam essas séries.
• O conteúdo não se limita a produção, como também são formados ships e se tornam "idols".

• Usualmente são adaptações de mangás BL e podem ser filmes ou séries.
• As séries geralmente são anunciadas próximo ao lançamento, com a produção já em estado avançado.
• O trailer das séries televisivas na verdade é um teaser do primeiro episódio, lançado pouco antes da estreia.
• Geralmente focada em personagens mais velhos, devido ao grande sucesso de "Ossan's Love".
• Variam entre temas mais leves como um romance, ou algo mais dramático e erótico.
• Séries giram em torno de 6 a 12 episódios, mais comumente com cerca de 25 minutos cada.
• Exibidas tanto na TV aberta quanto em canais de streaming.
• Às vezes são licenciadas globalmente em plataformas freemium ou pagas (Viki, Crunchyroll) após a estreia (sem transmissão simultânea).
• Os filmes são anunciados com muita antecedência. Só temos acesso a eles quando lançados em home vídeo ou serviços de streaming (cerca de 6 meses depois dos cinemas).
• Atores relativamente conhecidos e membros de empresas de idols comumente estrelam essas adaptações.
• O conteúdo se limita ao merchandizing da série, não há promoção posterior.

• Usualmente web séries de roteiro original que são posteriormente compiladas em formato de filme longa metragem.
• É comum ex-idols e idols de grupos menores estrelarem essas obras.
• O lançamento costuma ter foco internacional, sendo as séries usualmente liberadas na Coreia em aplicativos específicos das companhias.

• Comumente tem oito episódios com duração em torno de 8 a 15 minutos.
• Licenciadas no Brasil sempre pelo Viki.
• A promoção costuma se limitar ao período de exibição.

• Web Séries de roteiro original usualmente lançadas no YouTube.
• Há companhias com tradição no cinema/TV local e outras completamente amadoras.
• Parte dos atores já são rostos conhecidos do público e da indústria, e obtém formação formal, outros são aspirantes igual na maioria das produções na Tailândia.
• Filmes são usualmente lançados em plataformas pagas globalmente de forma simultânea.
• Algumas companhias tem seguido o modelo tailandês de promover um BL, com fan service contínuo, outras a promoção se limita ao tempo de exibição.
• Costumam puxar mais para um lado realista e militante.
Comumente temos atores que também já eram cantores antes dos BLs.

• A rigor, não se comercializa BL em live action na China Continental após 2016 devido a censura.
•  Novels danmei (BL) chinesas geralmente são adaptadas e vendidas em outros formatos de séries, sejam elas épicos históricos, tramas investigativas ou bromances. O nome na China usado para essas adaptações (tanto as que sugerem que há algo a mais entre os protagonistas quanto as que apagam totalmente) é 耽改 dangai (uma abreviação de danmei modificado/adaptado) e não "Boys Love".
Após 2016, enquanto alguns preservam em partes a relação (ainda que bastante atenuada) dos personagens, outras isso passa despercebido.
• Entre 2016 e 2018, as séries que chegaram a ser distribuídas costumam ter grandes cortes, algumas se tornando até difíceis de entender.
• Entre o anúncio da produção e a série ir ao ar podem levar-se anos. As vezes as séries estão prontas e passam meses/anos engavetadas.
• Algumas séries e filmes LGBT+ e BLs produzidos e distribuídos de forma independente e não comercial em plataformas como a rede BLUED e LOFTER fogem da censura e usualmente usam a tag BL em seu lançamento internacional.
• Outras conseguiram ser exportadas internacionalmente via GagaOOLala ou Viki, apesar de não poderem ser distribuídas por lucro dentro da China Continental.

• Por ter uma legislação separada, Taiwan pode produzir e distribuir os seus BLs localmente e internacionalmente.
• Usualmente elas tem roteiro original e são vendidas para serviços de streaming (LINE TV, WeTV, GagaOOLala).
• Posteriormente são lançadas novelizações do roteiro das séries.
• Usualmente tem entre 8 e 10 episódios de 25 minutos cada.
• Geralmente atores profissionais que estão no início da carreira ou modelos que querem migrar para a atuação estrelam.
• Como os atores não costumam ser da mesma agência, alguns continuam a produzir conteúdo juntos, outros perdem o contato.

• Web séries independentes usualmente de roteiro original lançadas no Youtube.
 Alguns músicos usam o BL como plataforma de expandir seu público.
• Muitas das vezes, produtoras pequenas e independentes encabeçam a produção dos BLs.
• Um humor mais pastelão típico do país é marca, apesar de algumas terem um tom mais sério e centrado em tragédias.

Postar um comentário

0 Comentários